A MENTE É UM SABOTADOR OU UM ALIADO?

É certo que a nossa mente trabalha a mil por hora. Cerca de 70 mil pensamentos passam pela nossa cabeça todos os dias. Mas será que, tudo que rodeia a nossa mente são verdades? Será que somos o que a nossa mente pensa diariamente? Até que ponto os nossos pensamentos nos ajudam ou nos atrapalham?

Devemos ficar atentos ao que passa pela nossa mente, pensamentos positivos e negativos nos invadem o tempo todo, não exatamente na mesma proporção, por isso, é importante medir e filtrar nossos pensamentos. Além dos pensamentos negativos existem os pensamentos julgáveis, em que visualizamos determinadas situações e pessoas baseado nas nossas crenças e dentro da realidade de vida de cada um de nós. Isto, não, necessariamente, é a realidade correta ou absolutamente verdadeira do que acontece ao nosso redor.

Portanto, tomando consciência sobre os nossos pensamentos podemos decidir o quê fazer com cada um deles. Se o pensamento for de cunho ameaçador ou que te impeça de seguir em frente nos teus resultados ou, ainda, de subestimar a sua capacidade, entenda que este pensamento está te atrapalhando com relação às suas ações, com relação aos seus objetivos de vida e até mesmo com relação aos seus sonhos. Não deixe que a tua mente comande o teu corpo e o teu comportamento de forma negativa e sabotadora. Proteja-se da negatividade, excluindo termos e palavras que te soam como uma obrigação ou como um peso. São elas: “Vou tentar emagrecer”, “Eu devo ajudar mais as pessoas”, “Eu preciso ganhar mais dinheiro”, “Eu tenho que passar num concurso”. Substitua por termos que te empoderem e te façam atrair àquilo que você deseja em sua vida, como: “Eu quero e vou emagrecer!”, “Eu mereço ser feliz!”, “Eu escolho ganhar mais dinheiro!”, “Eu decido mudar de vida!”. Essas palavras têm poder e toda mudança começa quando você decide mudar e não quando você tenta mudar, pois a tentativa é a justificativa para um possível fracasso. Faz sentido isso?

Outra forma de espantar a mente sabotadora é falar sempre em primeira pessoa, ou seja, “EU” e praticar a autoresponsabilidade. Tudo que acontece na minha vida é de responsabilidade minha e não do outro ou do meio externo. É muito fácil culparmos as situações e as pessoas, à nossa volta, pelos nossos fracassos. Quer ver alguns exemplos? “Se o meu chefe não fosse tão injusto comigo, eu teria um maior salário”, “A situação do país é muito ruim para que eu possa planejar o meu futuro”, “Esse emprego não merece toda minha dedicação”, “Meu companheiro (a) não me apoia, por isso não consigo ter qualidade de vida” etc. Quando, na verdade, a vida é feita de escolhas e não podemos colocar tanta responsabilidade nos ombros de outras pessoas ou mesmo do meio em que vivemos. Lembre-se, a vida é feita de escolhas! Como estão as suas? O que você pode fazer para transmutar as suas lamentações em escolhas assertivas em sua vida?

Por fim, e não menos importante, celebre cada conquista. Um passo de cada vez! Não foque sua mente apenas no resultado final. Se a sua meta for muito ousada, quebre-a em pequenas partes e comemore cada pequeno resultado. São as gramas que você perdeu na sua dieta com esforço e disciplina, são as horas de estudo que você planejou para o seu concurso, são as metas da sua empresa que você superou com entusiasmo e energia, são as oportunidades que o país te dá em tempos de crise, descubra quais? Enfim, se imaginássemos a força que tem os nossos pensamentos, certamente, iríamos aprender a utilizá-los da melhor forma possível, pois a nossa mente funciona como um imã para as leis do Universo e resta, a nós, utilizarmos essa poderosa ferramenta a nosso favor.

Categorias: